segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009


Ludivico Inhaem Lucio de Souza nasceu em berço de ouro, sempre foi acostumado a ter aquilo que desejava, aquilo que nem precisa, e também aquilo que tinha apenas para que os outros lhe invejassem.

Ele não tinha um carro, tinha um Porsche, não tinha uma simples esposa, tinha uma modelo, fora é claro, todas as outras amantes, as quais ele só mantinha para contar vantagem, morava numa bela casa com piscina com vista para sua praia privativa, como ele mesmo dizia:

Uma vida simples, porem bem aproveitada.
Seus amigos que na realidade só lhe acompanhavam para que pudessem dessas belezuras se aproveitar sempre vinham com aquelas frases feitas do tipo, Ludivico é um bom homem! Nunca vi alguém tão humanitário!
Pois ele havia aberto um abrigo para os cães, ele andava pela rua, encontrava algum que lhe interessava perdido ou não, pegava e levava para seu novo hobbie, o de protetor dos animais.
Quando seus amigos lhe perguntavam qual o motivo de ter tantos bichos, ele respondia com simplicidade.

- Eu amo cada um desses bichinhos.

E quando lhe perguntavam o que ele vai fazer quando esse amor por esse bichinhos acabar? Seu lado bondoso falava mais alto, ele enchia o peito e falava com orgulho.

- Mato todos e mando pra alguma creche nesses morros ai, pelo menos será de bom proveito.

E todos olhavam para ele rindo fingindo que tudo era apenas uma brincadeira de mau gosto, pois sabiam que na realidade não era.